Acordo para a compra da Arena é vetado pelo Ministério Público

A compra da Arena era para ser um dos maiores feitos da gestão Romildo Bolzan no Grêmio, se não o maior. Entretanto, a negociação para adquirir a gestão da Arena vai ficando cada vez mais cansativa para o tricolor gaúcho. Após diversos empecilhos, agora o acordo entre Grêmio e OAS para a compra da Arena é vetado pelo Ministério Público. Mais precisamente, o acordo referente às obras no entorno da Arena foi vetado.

É provável que você também goste:

Grêmio ainda pode receber dinheiro com Douglas Costa

Grêmio vai estrear no Brasileirão 2020 no dia 09 de agosto

Acordo para a compra da Arena é vetado pelo Ministério Público

As obras no entorno da Arena são o grande passo para que o tricolor gaúcho assuma a gestão do estádio. Entretanto, isso acabou sendo frustrado mais uma vez. Para justificar o veto, o Ministério Público deu 3 argumentos:

  1. A ideia apontada para a divisão da atual empresa “Arena Portoalegrense”, onde o Grêmio ficaria com a parte responsável pelo administração do estádio e a OAS com a segunda metade, responsável pelas obras no bairro Humaitá. Contudo, na visão das autoridades, a credibilidade de um processo grandioso como o discutido não pode ser colocada em uma empresa que sequer foi criada e que não possui base sólida, muito menos associados.
  2. O responsável pelo lado financeiro das obras na teoria seria o Grêmio, mas a execução seria da OAS. O que preocupa o MP é uma possível variação de valores projetados, algo comum em grandes construções, e a possibilidade do clube não desejar dar continuidade ao compromisso firmado. Atualmente, a previsão orçamentária para as melhorias do entorno da Arena está na casa dos R$37 milhões.
  3. Para certificar o compromisso das partes, o Grêmio estipulou como garantias financeiras do acordo o capital referente ao seu quadro social e as lojas do clube. Entretanto, as autoridades levantaram a preocupação com as manifestações públicas dos dirigentes gremistas quanto o impacto da pandemia nestas áreas. O Grêmio admitiu que terá prejuízos de R$25 milhões em 2020 por conta da crise.

Com base nos argumentos acima, o MP do RS acabou emperrando novamente as negociações para que o Grêmio comandar a Arena. Conforme o site Gremistas.net, os dirigentes gremistas estão ficando cada vez mais desanimados a medida em que os retrocessos vão ocorrendo. Isso pode ameaçar a negociação, pois, o Grêmio pode chegar a um ponto e desistir da compra.

Basicamente o Ministério Público do Rio Grande do Sul teme que o Grêmio e a OAS não honrem seus compromissos. Se isso ocorresse, a Prefeitura de Porto Alegre se veria obrigada a fazer a obra no entorno da arena com recursos próprios.

Enfim, gostou da notícia?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o Facebook. Assim, você poderá acompanhar todas as notícias sobre o nosso Imortal Tricolor.

Imagem: Reprodução/POA 24 horas