Batalha dos Aflitos: O dia em que o Grêmio provou sua imortalidade

No sábado 26 de novembro de 2005, há quase 15 anos, o Grêmio enfrentou um dos jogos mais complicados e atípicos de sua história, se perdesse a partida se manteria na série B do campeonato brasileiro. Essa partida ficou conhecida como Batalha dos Aflitos por causa do bairro onde se encontra o Estádio Eládio de Barros Carvalho, em Recife.

É provável que você também goste:

Os 5 maiores artilheiros do Grêmio na história

Clássico 377 foi verdadeiro GreNal do Século

Inter admitiu que o Grêmio é Campeão do Mundo no GreNal das Faixas

Batalha dos Aflitos: O dia em que o Grêmio provou sua imortalidade

O jogo começou com grande tensão, faltas duras e muitas reclamações de ambas equipes. O Náutico jogava melhor que a equipe gremista e aos 32 minutos da etapa inicial, o zagueiro Domingos derrubou Paulo Matos dentro da área, o árbitro Djalma Beltrami assinala pênalti para a equipe de Recife. Contudo, na cobrança, Bruno Carvalho carimbou a meta defendida pelo goleiro Galatto, esse, que mais tarde seria o grande responsável pelo acesso à primeira divisão e o título do Grêmio.

Na etapa final da partida, o Náutico seguiu pressionando, o resultado de 0 a 0 favorecia a equipe gremista. A primeira expulsão do Grêmio ocorre quando Escalona já amarelado intercepta a bola com o braço e toma seu segundo cartão amarelo. Aos 35 minutos, o árbitro sinaliza toque no braço do volante Nunes, ocasionando a segunda penalidade para a equipe do Náutico. Assim, iniciava a confusão generalizada que culminou na expulsão de mais 3 atletas do Grêmio, que já estava com um a menos. Primeiro Patrício, Nunes e por último, o zagueiro Domingos. A partida foi paralisada por mais de 20 minutos.

Galatto e Anderson, os heróis do título

Na penalidade, o jovem goleiro gremista Galatto fez a defesa mais importante de toda sua carreira, jogando a bola para escanteio e calando mais de 20 mil torcedores presentes no estádio. Assim, a defesa deu a Gallato o apelido de homem gelo.

No decorrer desse lance Anderson (ou Andershow como ficaria conhecido após o jogo), recebe a bola e carrega pelo campo inteiro até sofrer uma falta, que resultou na expulsão do zagueiro Batata, do Náutico. A falta foi cobrada rapidamente e em seguida, ele mesmo marca o gol que culminaria no acesso gremista e no título da Série B de 2005.

Curiosidade

Durante a batalha dos aflitos, o Santa Cruz ganhou da Portuguesa pelo placar de 2 a 1 e o resultado preliminar de empate entre Grêmio e Náutico, lhe dava o título. O Santa Cruz chegou a dar a volta olímpica com um troféu improvisado. Contudo, Anderson marcou o gol que garantiu a taça.

FICHA TÉCNICA – Batalha dos Aflitos

Local: Estádio dos Aflitos (Recife)

Data: 26 de novembro de 2005

Árbitro: Djalma Beltrami

Gol: Anderson, aos 63 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos: Bruno Carvalho, Tozo, Paulo Matos e Miltinho (Náutico), Pereira e Lipatin (Grêmio).

Cartões vermelhos: Batata (Náutico); Escalona, Nunes, Patrício e Domingos (Grêmio).

Escalações

Náutico

Rodolpho, Bruno Carvalho (Miltinho), Tuca, Batata e Ademar; Tozo (Betinho), Cleisson, David (Romulado) e Danilo; Paulo Matos e Kuki.

Técnico: Roberto Cavalo.

Grêmio

Galatto, Patrício, Pereira, Domingos e Escalona; Nunes, Sandro, Marcelo e Marcel (Ânderson); Lipatin (Marcelo Oliveira) e Ricardinho (Lucas).

Técnico: Mano Menezes.

Então, foi ou não foi mais uma vez a imortalidade gremista agindo?

Enfim, gostou da notícia?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o Facebook. Assim, você poderá acompanhar todas as notícias sobre o nosso Imortal Tricolor.

Imagem: Divulgação/Gazeta Press