CalendárioÚltimas Notícias do Grêmio

Vice do Grêmio é taxativo e elenca motivos para paralisação do futebol

"Não existe equiparação quando seus times não podem jogar em seus estádios"

Vice presidente do Grêmio  Eduardo Magrisso
Imagem: Redes socias de Magrisso

Vice-presidente do Grêmio cobra paralisação do futebol devido às enchentes

Os ventos turbulentos que têm assolado o Rio Grande do Sul não estão apenas afetando os telhados e as árvores, mas também o campo de jogo dos times gaúchos. Com a recente onda de adversidades climáticas, o vice-presidente do Conselho Diretor do Grêmio, Eduardo Magrisso, não ficou em silêncio e expôs os motivos pelos quais o futebol brasileiro deveria pausar suas atividades temporariamente.

Leia mais:

Grêmio deve treinar em um estado e jogar em outro. Entenda a situação!

Confira os bastidores da situação atual da Arena do Grêmio após enchente em Porto Alegre

Logística do Tricolor e motivos para paralisar o futebol

Em uma declaração incisiva, Magrisso enfatizou que o Tricolor priorizará locais que minimizem as perdas esportivas em termos de estrutura, logística e presença da torcida.

“Se a solidariedade não é motivo suficiente para parar o campeonato, o equilíbrio técnico deveria ser decisivo”, afirmou o dirigente.

O alerta de Magrisso é claro: o desequilíbrio técnico está se tornando uma realidade preocupante. Ele ressaltou que outros clubes também estão sensíveis a essa questão e que a paralisação é uma necessidade iminente.

Além do Grêmio, Magrisso enfatizou que Internacional e Juventude também não têm condições de sediar jogos em seus respectivos estádios. A solução apontada seria a mudança para outras localidades, provavelmente em estados vizinhos.

Cobranças para a CBF

O vice-presidente do Grêmio não poupou críticas à Confederação Brasileira de Futebol (CBF), exigindo mais ação por parte da entidade. Ele reconheceu o espírito de solidariedade, mas ressaltou a importância de competir de maneira igualitária com os demais times do país.

Em sua conclusão, Magrisso reiterou o princípio básico do Campeonato Brasileiro: a igualdade desportiva.

“Não existe equiparação quando seus times não podem jogar em seus estádios”

A mensagem é clara: para preservar a integridade e o espírito competitivo do futebol brasileiro, a paralisação temporária é uma medida essencial.

 

Imagem destaque: Márcio Neves/Grêmio

Natalia Fontoura

@natifontouraf Repórter, redatora e setorista do Grêmio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo